Na busca do desconhecido

mistérios... recortes do não vivido

procura ou esboço do destino

com cenas envoltas em brumas!

 

No trajeto... alamedas e caminhos

qual acesso leva ao que se procura?

Se o homem em sua infinita busca

perde-se na sensação do vazio.

 

Na extrema vontade de ser feliz

entra por entre as nuvens da esperança

tem a sensação do encontrado

mas é o nada... o fútil... o incógnito.

 

Na desventura da desilusão

na procura vã do que se torna

um fluido... desesperanças

a  certeza e prova do nada.

 

Aquela flor antes desabrochada

agora murcha... sem luz

que na encruzilhada do caminho

tem tantas idas... sem vindas!

 

O que se busca na imensidão deste céu.

O que se busca pelo chão arenoso

ou de terras umedecidas pelas chuvas?

 

Ali... adiante

no despenhadeiro do infortúnio

uma luz ressurge... brilhante

ofuscando as amarguras das caminhadas!

 

Na infinita contemplação

como que num filme de romances

e aventuras... continua a busca.

 

E o homem como que um venturoso

espargindo-se nos espaços do inconsciente

faz da vida uma história

e o mais belo e venturoso.

 

UMA POESIA... UMA CANÇÃO!

 


 


 

Pelo EnvioWebaguia

Pelo Outlook

 

Fale com a autora:  lyzcorrea@hotmail.com


Adicionar este site aos seus Favoritos
|    Home    |    Menu    |    Voltar    |

|    Livro de Visitas    |



Desde 29.01.2010,
você é o visitante nº


Página melhor visualizada  em Internet Explorer 4.0 ou Superior: 1024 X 768
Copyright© A Gralha Azul - 2009 - Todos os Direitos Reservados