Grita na alma do homem a liberdade

em poder estar nas alturas pertinho do céu.

Lançar-se num espaço dito vazio

é romper cordões atados aos corações

e deles asas invisíveis surgem alvas, leves.

 

Liberdade

que resulta no conviver harmônico

entre as aves em seu vôo calmo e lindo

e os homens no sentir, no pensar e no amar!

 

Se juntos lançam-se em aventuras

cada qual procura seu espaço

como que unidos por aqueles cordões desatados

que em alguns não romperam definitivamente.

 

E uma busca insana, contínua, como que

um bater em portas entreabertas

espiam-se luzes, verdades e

que busca vacilante e inquieta.

 

Viajar é como o caminhar inseguro

dos pequeninos filhotes das aves e animais

que buscam caminhos por entre os ciprestes

e alamedas da vida.

 

Estacionar no coração ideais

é renunciar aos ideais e aspirações

e como a claridade é para a retina

a harmonia só existe quando há som.

 

Que dizer do aroma das flores

que desprendem-se das pétalas coloridas

e dos sonhos onde há ternura e emoções?

Viajar, o homem viaja.

 

Quer atingir o Sol ou a Lua

avançar até o crepúsculo ou o amanhecer

conduzir seu destino dilacerando

perfumes dos roseirais

ou rompendo o pensamento até a eternidade!
 

 

 


 


 

Pelo EnvioWebaguia

Pelo Outlook

 

Fale com a autora:  lyzcorrea@hotmail.com


Adicionar este site aos seus Favoritos
|    Home    |    Menu    |    Voltar    |

|    Livro de Visitas    |



Desde 29.01.2010,
você é o visitante nº


Página melhor visualizada  em Internet Explorer 4.0 ou Superior: 1024 X 768
Copyright© A Gralha Azul - 2009 - Todos os Direitos Reservados