As ondas do mar são como janelas

que deixam o Sol penetrar

As ondas do mar  são como   portais

que abrem os braços afetuosos para que se possa  passar

 

Nas ondas do mar mergulham

as esperanças, os sonhos

no seu  vaivém  nada silencioso

em profusão seres navegam

 

Nas ondas do mar juntam-se esperanças

e como uma sinfonia

regida pelo maestro celestial

trazem luzes muitos  brilhos

 

Pelas ondas do mar, uma loucura

no anoitecer seres misteriosos  chegam

e pequenas montanhas de areia fazem

depositando ali  seus ovos

 

Nas cálidas areias de um  mar bravio

fazem o refúgio daqueles

pequeninos seres que  frágeis

enfrentarão as vicissitudes do mar

 

Junto as ondas do mar

uma delicada criaturinha debatia-se

e, bravamente tentava singrar aquele mar

que seria seu refugio  para  o sempre

 

Duas mãos suavemente abrigaram

um pequenino ser

que na madrugada eclodira

e  no  ensolarado amanhecer

não conseguiu seguir   seu curso

até o fundo  do mar

 

Quisera ser um pequenino grão de areia

para seguir naquela manhã radiosa

seu nado lento

tentar engastá-lo  no fundo claro do mar anil

e saber que  naquele oceano  imenso

um dia voltará  em busca das mesmas areias mornas

para seus ovos ali depositar

 

Tartaruguinha dos meus pesares

Tartaruguinha dos meus amores

Que os sinos repiquem na sua chegada

A Porto de Galinhas, um dia



 

 


 


 

Pelo EnvioWebaguia

Pelo Outlook

 

Fale com a autora:  lyzcorrea@hotmail.com


Adicionar este site aos seus Favoritos
|    Home    |    Menu    |    Voltar    |

|    Livro de Visitas    |



Desde 29.01.2010,
você é o visitante nº


Página melhor visualizada  em Internet Explorer 4.0 ou Superior: 1024 X 768
Copyright© A Gralha Azul - 2009 - Todos os Direitos Reservados