Ao pensar na vida, recordações dos mais puros e doces momentos vividos na infância e na juventude, reaparecem.

Ao pensar na vida, lembranças das lutas, de tantas venturas e desventuras, que nunca abalaram, o caminhar.

Nos púrpuros momentos de felicidades, sorrisos. Nos olhos brilhos de esperanças e nas tristezas lágrimas se por ventura sentidas.

Porém, assim como é suave o azul dos céus, aquele pulsar de vidas nos jardins repletos de flores, com tardes cheias de encantos, as manifestações em cada um, repousam numa roupagem que escolhem ao seu prazer.

Considera-se que o gargalhar da juventude rebelde dos nossos dias, reflete esperanças para um futuro melhor, onde a velhice não espere mágoas, o adulto bendiga a vida, e a criança tenha no futuro não cenários tristes do abandono e da desilusão.

Neste palco iluminado a mocidade está ávida por glórias, por amores, mas lastima quando sai ás ruas com um nariz de palhaço e o escárnio da politicagem.

Não somos inconscientes desprovidos da razão, nem temos o bálsamo para os males, mas, temos a essência entorpecedora que aniquila e, daí cala-se.

Pior de tudo é a hipocrisia ridícula e temporária dos que disfarçados em generosidade, na verdade humilham.

Na contemplação muda de horizontes mais coloridos, curvemo-nos para as alvoradas que certamente veremos no amanhã.

Aprendemos a não esperar por milagres, a ter calma para não reagir, porque fazemos do amor nossa prece e oração.

Como diz a canção de Mercedes Sozza... GRACIAS A LA VIDA!

 

 

 

Deixe aqui o seu recado para a autora

 


 


 

Pelo EnvioWebaguia

Pelo Outlook

 

Fale com a autora:  lyzcorrea@hotmail.com


Adicionar este site aos seus Favoritos
|    Home    |    Menu    |    Voltar    |

|    Livro de Visitas    |



Desde 29.01.2010,
você é o visitante nº


Página melhor visualizada  em Internet Explorer 4.0 ou Superior: 1024 X 768
Copyright© A Gralha Azul - 2009 - Todos os Direitos Reservados