Nas alvoradas de luzes e sons, recordações nos tiram dos afazeres.

Deixamos de lado muitas prioridades para pensar se algumas atitudes tomadas, não levariam a outros fins.

Não apenas nas manhãs, mas também nas noites tranquilas, quando as estrelas estão escondidas, não cintilam, emudecemos e ficamos absortos recordando fatos do passado.

Mas, se uma Lua surge repentinamente no firmamento com sua luz, clareia nossas mentes e, nosso espírito desprende-se tanto da Terra, como do corpo e perambula pelo campo da imaginação ou dos pensamentos, e, como tudo é maravilhoso!

Quando recordamos aquilo que é prazeroso, esquecemos dos momentos de dificuldades, das decisões urgentes, daí aquele vento que sibila inicialmente com certo furor, acalma, varre as desesperanças e trás sonhos de venturas.

Passa assim todo vendaval, aquele furacão que arrancava esperanças e venturas, vem em forma de paz e harmonia.

Melhor estarmos entre as estrelas que brilham, com a Lua que ilumina, com o vento que amaina, as preces que confortam, e as manhãs lindas que trazem saudades e mensagens de que não vale a pena emudecer.

Cada vez que nos curvamos ante a vida, a grandiosidade do infinito, a sabedoria dos antepassados, o amor à terra em que nascemos, houve supremacia do coração sobre a razão.

Recordar, prefiro assim na alvorada radiosa e suprema, porque a luz trás esperanças e abençoa.

Amo a vida que me foi destinada, amo a família onde fui designada ou pedi aos céus em nela estar, amo meus amigos dos momentos de criancice, da juventude, da vida na capital e no interior.

Os amigos das faculdades e do trabalho, do face, dos lábios púrpuros de todos recebi palavras de incentivo e conforto.

Ao brilhar uma lágrima quando das tristezas ou infortúnios, os soluços eram abafados pelo abraço carinhoso e afetuoso de um amigo e parente.

Assim procuro ver a vida. Como um jardim coberto de flores, com relvas aveludadas nas campinas, um brilho intenso e azul nos céus e nas noites enluaradas ou quando se ouve o trinado dos passarinhos, apenas apreciar aquele espetáculo que é muito mais grandioso e belo.

Agora, quando as noites tornam-se mais gélidas, repousamos tranquilamente envoltos nas roupagens de adormecer, tendo todas as doçuras de um amor presente e se não está próximo, venha um dia aconchegar-se mansamente nos abraços acalorados e saudosos daquele amor tão esperado e encantador!!!

 

 

 

 

Deixe aqui o seu recado para a autora

 


 


 

Pelo EnvioWebaguia

Pelo Outlook

 

Fale com a autora:  lyzcorrea@hotmail.com


Adicionar este site aos seus Favoritos
|    Home    |    Menu    |    Voltar    |

|    Livro de Visitas    |



Desde 29.01.2010,
você é o visitante nº


Página melhor visualizada  em Internet Explorer 4.0 ou Superior: 1024 X 768
Copyright© A Gralha Azul - 2009 - Todos os Direitos Reservados