É impossível compreender o que se passa

Quando se ama a vida

Tem-se nos olhos doces lembranças

Que refletem carícias, tudo que sonhou-se.

 

Quando brilham nos olhos gotículas

São as lágrimas da alegria

E assim vê-se jardins sempre floridos

Firmamento todo azul.

 

Se nas noites escuras, a Lua chega e

Manifesta-se envolta em roupagens

Prateadas e até douradas

São de doçuras e encantos.

 

Em cada semblante de enamorados

Os beijos calam as palavras

Os olhares pedem muito amor

E quantas juras repousam nos corações.

 

Dos sorrisos partem soluços

Soluços iluminados de esperanças

Debatem-se nos corações

Prodígios e maravilhas de sonhares.

 

Se na passagem efêmera dos amores

Golpes de felicidades aconchegam-se

indiferentes e imprevistos, sabe-se que

Acariciam as esperanças do reencontro.

 

Quando a generosidade surge revestida de acalantos

De esperanças, de glórias, de promessas

As venturas, os mistérios

Recortam silhuetas e esboços de felicidades!

 

Na encruzilhada dos caminhos

Sigamos o que leva ao cume da montanha

Porque de lá os raios de Sol brilham mais

E as flores silvestres, exalam mais perfumes!

 

 

 

 

Deixe aqui o seu recado para a autora

 


 


 

Pelo EnvioWebaguia

Pelo Outlook

 

Fale com a autora:  lyzcorrea@hotmail.com


Adicionar este site aos seus Favoritos
|    Home    |    Menu    |    Voltar    |

|    Livro de Visitas    |



Desde 29.01.2010,
você é o visitante nº


Página melhor visualizada  em Internet Explorer 4.0 ou Superior: 1024 X 768
Copyright© A Gralha Azul - 2009 - Todos os Direitos Reservados