Quando nos céus o brilho do Sol
Dá à Terra mais um cenário colorido,
O verde das matas e o azul dos mares
São como os poemas não escritos.
 
Revoam os pássaros pelo espaço
Livres na imensidão...
Pousam de tempo e tempo
Nos galhos dos arvoredos.
 
É o descanso dos minutos que sobrevoam
Incansavelmente em busca do alimento
Seus olhos vislumbram movimentos
De pequeninos seres ou grãos no solo.
 
Vem pombinhas rolas
Vem pombinhas brancas
Esse mundo é perfeito e formoso
Porque vocês existem.
 
Se nas florestas gigantescas não
Mais encontram abrigo
Nem avistam o luar que prateava as colinas
Sintam a suave brisa
Pousem em seus macios ninhos.
 
Contemplem aquele rouxinol
Que pequenino enfrenta o vento
Observem aquele botão de rosa
Que em breve terá as pétalas ao chão.
 
Sintam no aroma da ventura,
A esperança do surgir o amanhecer
Deixem o crepúsculo ir-se.
Acorda pequena pomba, branca da paz.

 

Deixe aqui o seu recado para a autora

 

 

 


 


 

Pelo EnvioWebaguia

Pelo Outlook

 

 

Fale com a autora:  lyzcorrea@hotmail.com


Adicionar este site aos seus Favoritos
|    Home    |    Menu    |    Voltar    |

|    Livro de Visitas    |



Desde 29.01.2010,
você é o visitante nº


Página melhor visualizada  em Internet Explorer 4.0 ou Superior: 1024 X 768
Copyright© A Gralha Azul - 2009 - Todos os Direitos Reservados